30.9.09

Ser irmão


"Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus.Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros." I Jo 3: 10-11


Para mim, ele sempre foi um desafio. Quando pequena, vivenciamos pouco o "ser irmão". Como consequência da diferença de 6 anos e meio, ele sempre me considerou boba demais para estar em sua companhia. Éramos diferentes - e somos, ainda. Eu, mais agitada. Ele, mais quieto. Eu, mais humana. Ele, mais material. Mas nos encontramos nos nossos defeitos. Intolerância com a diferença, nervosismo e egocentrismo.
A pirraça sempre foi a minha forma de chamar a atenção dele. Poucos beijos, poucos abraços, quase nenhuma conversa sincera. Ele é ciumento, não se envolve com meus amigos, não se aproximou de nenhum namorado meu (pelo contrário, perseguiu todos - uns mais, outros menos), sempre me delatou para meus pais, tem um pensamento elitista (coisa que eu tenho pavor) e só pensa em dinheiro (para ele, eu sou um desperdício de grana).
Difícil a convivência? Impossível, enquanto um dos dois não se dipuser a abrir mão pelo outro. E aí entra a coisa mais LOUCA do amor: a gente ama, abre mão pelo outro, sem esperar que ele mude com o nosso gesto. Poutz! E eu só cheguei a essa percepção agora, escrevendo esse texto.
Eu não tenho grandes perspectivas na minha relação com meu único irmão. Já sonhei muito, mas hoje espero muito pouco. É difícil me imaginar tolerando o tanto de baboseira que ele faz. Eu me irrito, grito, reclamo. Mas a verdade? Ele nunca mudou. E não creio que vá mudar motivado por palavras berradas por mim.
No entanto, preciso lembrar de minha posição diante dele e de Deus. Preciso ter uma atitude de amor nessa convivência. Convivência que sempre me jogou no buraco, por sinal! Era só eu me dispor a ajudá-lo em algo, que sempre rolava alguma coisa ruim na minha vida por causa da super-proteção dele para comigo.

21.7.09

Eu fiz merda!

Tempos de hesitação chegam. Sempre chegam, por mais próximo que você esteja de Deus. Acho engraçada a abnegação constante. Se isso é o que acontece com todos, então fujo à regra. Eu erro, peco, fujo do rumo. Hoje isso é mais consciente do que era há alguns anos. Mas continua acontecendo. Isso é ser humano.
Há, no entanto, uma peculiaridade no meu comportamento. Aprendi a expor meu erro. Aprendi a me expor a pessoas confiáveis, para que eu esteja sempre consciente da constante luta da minha vida: carne x espírito. Meu objetivo é alimentar o espírito, aumentar meu contato com Deus, buscar fazer o que ele gosta e, consequentemente, evitar o erro. Mas nem sempre eu consigo.
Às vezes meu lado humano aparece mais. E aí entra um dos benefícios de vivermos em coletividade. Uma amiga querida, logo que percebeu que havia algo de errado comigo, me chamou para uma conversa franca, a fim de me ajudar a centrar meu caminho nos planos de Deus.
Se errar é humano, inconformar-se com o erro é espiritual.

16.6.09

Merece ser copiado...

Como existem vários blogs nesse mundo internáutico, gosto de acompanhar aqueles que têm conteúdos individualizados, bem pessoais. Ora! Se você tem um blog fale o que você pensa! É gratuito, fácil, legal, enfim! Por isso, gosto de produzir os textos desse meu cantinho da blogosfera. Não dá para evitar, entretanto, que outras pessoas expressem com perfeição aquilo que você já pensava há um bom tempo, incomodava-se, mas nunca traduziu em palavras. Bom demais ver que não é só você que se incomoda com as manias religiosas, que criam modelos, paradigmas, estereótipos, mas pouco estimulam a relação individual com Deus! Vale a pena pensar...

Adestramento cristão
Por Ariovaldo Jr.

Crente é um bicho estranho. Você grita “AMÉM?” e ele responde gritando o mesmo. Se perguntar pela segunda vez, ele responderá mais alto. Se no meio do louvor você gritar “pule na presença do Senhorrrrrrrr”, então eles pulam. Se você dançar de modo estranho, verá correspondência imediata nas pessoas.

Sua linguagem é facilmente influenciável por jargões. Basta pegar qualquer expressão bíblica cujo significado seja obscuro para a maioria, e pronto! Também colam as expressões inventadas que possuem aparência de espiritual, como por exemplo “ato profético”. Difícil de crer que nem existe esta expressão na Bíblia né?

Facilmente também estereotipamos outras coisas que fazem do crente um ser quase alienígena: os lugares que frequenta, o conteúdo de suas conversas e a aversão às coisas “do mundo”.

Pena quem os crentes não são condicionados a obedecer a todo tipo de “comando”. Parece que o adestramento a que foram submetidos possui limitações. Nem todos aceitam sugestionamentos que os levem a renunciar a seus interesses; ou dividirem suas posses com os necessitados; ou mesmo disponibilizar tempo para aqueles que estão abandonados em asilos, orfanatos e nas ruas.

Ah… antes que eu me esqueça, quero deixar claro que amo os crentes. E exatamente por ser um deles é que me incomodo tanto com estas coisas incompreensíveis que aceitamos passivamente em nossa conduta.

10.6.09

26.5.09

A vontade

video

21.5.09

Razão do último post

Ah, sim, sim! Preciso explicar o motivo do último post. É que eu espero que os parcos leitores desse negro blog me parabenizem na próxima segunda! Vocês farão uma criança feliz, hein?

Drama de uma aficcionada por aniversário...o dela, claro!

Confesso. Sou doente por meu aniversário. E não é pouco! Gosto que todo mundo veja, perceba, saiba e, claro, que dê parabéns, né? Eu não sei ao certo de onde veio isso, mas posso desconfiar: da minha mãe.
Ela sempre foi looooooooooouca por aniversário: o dela e o dos outros. Dava parabéns a todos os aniversariantes do ano. Era certeiro! Uma ligação que você podia dar por certa no seu aniversário, caso ela fosse sua amiga, colega de trabalho, vizinha, companheira de salão ou até já tivesse perdido qualquer dos cargos citados.
E comigo? Bem, comigo era um pouco diferente. Eu era a filha, a caçula, a princesa que ela sempre sonhou (ainda que eu nunca tenha conseguido - nem desejado - me adequar ao que ela considerava como princesa). Meus aniversários sempre foram com SUPER festa! Lembro bem do primeiro ano que ela resolveu não fazer nada grande, porque nós estávamos com viagem marcada para o dia. Ela sentou com toda calma do mundo para me dizer que ia fazer só um almoço com todos os meus amigos. E, creiam, isso que me deixaria SALTITANTE DE ALEGRIA hoje, me deixou meio triste na época.
Mas minha mãe tinha uma frustração. A data de nascimento dela. 17 de dezembro. Era fim de ano, próximo ao natal. Todos estavam viajando, não dava pra mobilizar todo mundo. De tanto ver a tristeza dela, eu sempre disse: não quero que meus filhos nasçam em feriados ou período de férias.
Agora a frustração é minha. Eu nasci em maio. No lindo dia 25 de maio de 1983. Não, não é período de férias. Também não é feriado, embora seja o dia mundial do orgulho nerd. É que, há 11 anos, eu moro em Salvador e, por aqui, o outono tem uma característica bem marcante. A CHUVA! Sim, chove canivetes no período do meu aniversário. Salvador sempre alaga, engarrafa, vira um caos. E minhas comemorações costumam ir, literalmente, por água abaixo! Uma decepção para aficcionadas como eu, não é verdade?

19.5.09

Virá? Viva, use, pregue

Eu sempre tive um problema sério com as camisetas de mensagens bíblicas, as tais gospeis, evangélicas, sei lá. Acho que são chatas, sem graça e eu, particularmente, tenho dificuldade em usar. Admiradora assumida de camisetas da camiseteria e da camiseta record, não simpatizava com aqueles esquemas de "Exército de Deus", "Eu tenho a marca da promessa" e afins. Nada contra quem goste, mas não faz o meu estilo!
Certo dia, navegando de forma despretenciosa na internet, eu vi um link em alguma comunidade do orkut. A virá. Quando visitei, fiquei E-N-C-A-N-T-A-D-A! As frases são tiradas interessantíssimas, as estampas muito bem feitas e, posso dizer porque tenho umas, a qualidade da malha é maravilhosa! Fica a dica.

13.5.09

Reggaezinho bom!

Confesso que não sou muito chegada a reggae, mas tem umas músicas que são bem legais. Eu, particularmente, gosto muito dessa música de Nengo! Vale a pena dar um saque!


video

Warm Up 2 - o convite!

10.5.09

As letras do Heavy Metal: o White Metal

Sex, 08 Mai, 12h26

Por Andreas Kisser, colunista do Yahoo! Brasil

Já apresentei, em um breve resumo de quarto partes, as origens e influências que moldaram os temas e as letras no heavy metal. Recebi muitas respostas, ideias, sugestões, críticas e elogios. Fico muito agradecido por isso e tenho me esforçado para melhorar a coluna com a ajuda de vocês.

Um dos assuntos que mais repercutiu foi a coluna sobre as letras de black metal: As letras no heavy metal: anticristo superstar!. Recebi, principalmente mensagens de fãs do metal gospel, sugerindo uma pauta sobre o assunto, então, lá vou eu!

Admito que sou leigo no assunto e tive que fazer uma pequena pesquisa para entender a união da música pesada com a temática gospel. O metal cristão, ou qualquer outro estilo musical cristão, prega a palavra da escritura Sagrada, a Bíblia. As letras contam com passagens e frases totalmente inspiradas no livro.

Em todas as religiões, a música é usada em seus rituais, e na fé cristã não é diferente. Geralmente o acompanhamento das vozes nos corais é feito com um órgão de tubos, instrumento utilizado com maestria pelo compositor luterano alemão, Johann Sebastian Bach (1685-1750), um dos maiores músicos da história, que escreveu muitos temas inspirados na Bíblia como, por exemplo, a "Paixão de Cristo Segundo Mateus". A música de Bach é muito apreciada pelos músicos de heavy metal e influenciou muitos guitarristas e tecladistas do gênero.

Nas igrejas do Bronx, bairro em Nova York, também é utilizado um órgão elétrico acompanhado por bateria, baixo, guitarra e sopros, com corais muito animados, que fazem dos cultos uma verdadeira experiência. Esta música de temática gospel também influenciou muito o blues e o rock.

Com o passar do tempo, a igreja cristã foi se transformando e adotou outras formas musicais de expressar sua fé. Hoje, vários estilos musicais fazem parte da rotina das comunidades cristãs, fora e dentro do Brasil.

A primeira banda de heavy metal cristão, que levou o estilo ao mais alto nível, foi o Stryper. A banda californiana se inspirou na Bíblia para dar nome ao grupo, compor o visual e as suas letras. O estilo musical adotado pelo banda foi o que rolava na época, final da década de 80, o auge da era "poser metal" ou "glam metal".

Bandas como Mötley Crew, Poison e Cinderella estavam começando o seus reinados nas arenas norte-americanas. Guitarras distorcidas, solos de guitarra e muita maquiagem. A inspiração do Stryper (que vem do termo stripe, que significa faixa, listras, tiras) veio de um verso da Bíbla, Isaías 53:5, que declara: "Através de suas faixas seremos curados". A marca da banda são faixas preta e amarelas que causam um efeito visual único. O disco de maior sucesso foi "To hell with the devil" ("Ao inferno com o diabo"), de 1986. Uma parte da letra dizia:

Speak of the devil / He's no friend of mine / To turn from him is what we have in mind / Just a liar and a thief / The word tells us so / We like to let him know / Where he can go / To hell with the devil / (Mensagem do diabo / Ele não é meu amigo / Desviar de seu caminho é o que temos em mente / Ele é simplismente um mentiroso e um ladrão / A "palavra" nos fala / Nós gostaríamos de avisá-lo / Aonde ele poderia ir / Ao inferno com o diabo).

Outro grupo norte-americano que toca um metal mais alternativo, mesclando vocais agressivos com vocais melódicos é o P.O.D. (a sigla significa "payable on death", que português lieral quer dizer "pagável na morte"). É um termo técnico muito usado em bancos nos EUA quando uma pessoa morre e alguém herda seus bens. É necessário que uma pessoa morra para outra herdar seus bens. Isso é uma referência da banda a Jesus Cristo, que segundo o cristianismo, morreu por nós, pagando e perdoando nossos pecados, dando-nos a chance de sermos salvos. A banda já vendeu milhões de cópias, desde sua formação na metade da década de 90, com letras como: "Psalm 150" e "Abortion is Murder":

Abortion is murder / There's nothing you can say or do / To justify the fact / That there's a living breathing baby inside of you (Aborto é assassinato / Não há nada que você possa falar ou fazer / Para justificar o fato / De que existe um ser vivo respirando dentro de você).

Outro conceito interessante sobre as bandas cristãs vem do músico Tim Lambsis, do grupo norte-americano As I lay dying (Enquanto estou deitado e morrendo), ele diz: "Não tenho certeza qual é a diferença entre cinco cristãos tocando numa banda e uma banda cristã. Se você realmente acredita em algo, então isto afetará todas as áreas da sua vida. Todos nós da banda somos cristãos. Eu acredito que a mudança começa comigo primeiro, e a consequência é que as nossas letras não soam como sermões. Muitas de nossas músicas são sobre a vida, erros, relacionamentos e outros assuntos que não se encaixam necessariamente em uma categoria espiritual. Entretanto, todos estes tópicos são escritos de um ponto de vista cristão". Um ponto de vista interessante, onde se pode expressar com um pouco mais de liberdade, sem perder a fé nas crenças.

No Brasil, o maior exemplo de banda critã é o Oficina G3. Um grupo de músicos super talentosos, que tocam uma música pesada e bem elaborada. Os vocais também se intercalam entre mais agressivos e melódicos e os solos de guitarra de JuninhoAfram são de primeiro nível. Veja a letra da música "A Ele":

Se eu pudesse explicar ao mundo / O que é andar contigo, Oh Deus! / Minhas palavras não poderiam expressar / O Teu poder / O Teu imutável amor / Falar de Quem foi, que é e sempre será Deus!

No heavy metal mais extremo, a banda mais expressiva vem da Austrália: o Mortification. O som é brutal e super agressivo, mas inimigos do mal. Veja a letra de "Blood Sacrifice":

Christ he was inflicted / He took the sin of man / Bleeding on a woodencross / God's eternal plan (Cristo foi infligido / Ele tirou os pecados do homem / Sangrando em uma cruz de madeira / Plano eterno de Deus)

Bom, creio que deu pra entender um pouco e conhecer algumas bandas do white metal. Para mim, foi um aprendizado e acho que todos os músicos, independentemente do estilo e da mensagem, tocam porque amam a música e se beneficiam da liberdade que ela representa.

Conheci vários países, de culturas, ideias e religiões distintas, sempre aprendendo alguma coisa nova e, com isso, respeitando e tolerando diferentes maneiras de se ver a vida e o mundo.

Aproveitando, vejam as fotos (clique aqui) da minha última turnê com o projeto HAIL em países com a Turquia, Grécia, Croácia e Áustria, onde toco covers de clássicos do metal com ex-membros do Megadeth, Judas Priest e Alice Cooper.

Aprender a respeitar é aprender a viver em Paz.

Abraço a todos.
Andreas Kisser

3.5.09

Palavrantiga

video

PENSEI - Palavrantiga

Pensei que só por meu pensar Tu virias a ser, mas não.
Eu pensei que só por meu cantar Tu virias a ser, mas não.
É que a música soou, mesmo sem minha voz.
É que o Senhor me tocou quando esqueci de imaginar!
Pensei que poderia explicar a grandeza que és, mas não.
Eu pensei que poderia encontrar o caminho que és, mas não.
A explicação se esgotou, mesmo querendo encontrar.
É que o Senhor me buscou quando a estrada era só escuridão.
Vou e faço o meu melhor, isto é barro em Tuas mãos.
Tu vens, me chamas para entrar em Teu reino de amor.
Tu és meu Deus. Teu nome é grande.
Tu és eterno, mas não distante.
Canto sereno Tua grande glória.
És Santo Deus, aleluia!

Pensei que poderia explicar a grandeza que és, mas não..

27.4.09

Ver para crer ou conhecer para crer?

Ontem eu estava pensando nas coisas que tenho entendido de Deus para a minha vida. Nossa! São coisas bem distantes do que é possível ver hoje. Tomando exemplos esdrúxulos, seria algo como: "Antônio Ermírio de Moraes vende seus bens e doa tudo aos pobres", "Jô Soares perde 80 Kg" e "Xuxa pinta o cabelo de preto". No tempo certo, coisas que, hoje, parecem absurdas para mim e para você, se tornarão realidade para a minha vida, pois assim determinou o Senhor...

E eu pensava: será que eu realmente creio nessas coisas? Lembrei, então, de um relacionamento que tive quando era mais nova. Ele era um menino de boa índole, paciente, bem equilibrado e sensato. E eu confiava nas coisas que ele dizia. Parece absurdo hoje, mas, se ele dissesse que o time A ganharia o campeonato, eu acreditava de olhos fechados. Se ele dissesse que eu conseguiria passar numa matéria da faculdade, eu também acreditava piamente.

Mas - o leitor se pergunta - por que você acreditava nele, Izabel? Simples: porque eu o conhecia e sabia da sensatez e ponderação dele! Sabia que ele não falaria, se ele realmente não acreditasse. Se nós conhecermos a Deus, entenderemos que Ele criou todas as coisas, que cumpre a sua palavra e que é poderosíssimo!

O raciocínio é bem simples, mas não é tão fácil de pôr em prática. Hoje eu estava ouvindo uma música que diz assim: "O Senhor, meu Deus, me toma pela mão direita e diz: Não temas, pois Eu sou contigo (...) Até as aves do céu que não semeiam, Deus alimenta. Quanto mais a mim que sou filho seu. Vou esperar em Deus. Vou confiar no que Ele diz" (Não temas - Sonhos e Visões). Por mais que esse verso pareça belo aos nossos olhos (e é!), poucos são os que cantam não só com os lábios, mas também com a vida.

Para que a fé (aquela certeza das coisas que se esperam e a prova do que não se vê, como está em Hebreus 11:1) opere, é necessário que conheçamos em QUEM estamos crendo. Ora, você só dá credibilidade verdadeira para pessoas que conhece profundamente. Talvez por isso a passagem de Oséias 6:3 - "Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor" - tenha vindo logo após serem citadas promessas que Deus faz a seu povo e que, àquele tempo, pareciam impossíveis.

Conheça a Deus, busque-O! Não para ter promessas, não simplesmente para ver o agir de suas mãos, mas para conhecer o quão MARAVILHOSO Ele é! E, então, você saberá em quem está crendo, quem é essa pessoa que te deu sua palavra e a cumprirá! Isso é um desafio para mim, sei que pode ser para você também, mas não desanime!

22.4.09

White Collar Sideshow

Renatinha, uma amiga lá do Rio, veio me contar de uma descoberta fantástica! Era uma banda. Uma banda um tanto quanto...diferente. Eu fui toda curiosa fuçar os vídeo. E amei!!! É um som bem experimental, mistura de baixo com percussão. Bem legal! Amei a sonoridade, os recursos gráficos e a atuação bem teatral no palco.
Como qualquer ser pensante, os critãos também precisam estar dispostos a experimentações estéticas como forma de expressão da nossa visão de vida: a visão cristã. Os princípios bíblicos precisam ser nossa base e os formatos só poderão ser limitados por aquilo que Deus ditar.
White Collar Sideshow assusta? Claro que sim! A muitos! Mas também encanta a muitos e expressa a forma do cristão perceber a realidade (seja ela a sensível ou a espiritual).
Essa manifestação abre a mente. Nos faz pensar. E expressa muito bem o que Pedro falou em sua primeira carta à galera cristã que estava espalhada pelo chamado mundo gentio:
"Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas." (I Pe 4:10)
Expressar-se para falar da Verdade que nos liberta é servir e isso deve ser feito conforme a MULTIFORME GRAÇA DE DEUS!

The Parasite Matrimony from "Live in an Empty House"

9.4.09

8.4.09

4.4.09

Só pode ser verdade...

Creio em Cristo e acho que isso é algo que não se explica, se vive. A lógica de Deus é maior do que as nossas mentes podem abarcar. Não há como explicar direitinho pelos nossos métodos, não dá para cientificamente comprovar o que é muito maior que a ciência. Há cerca de 3 anos eu escolhi crer e viver isso. Arrependimento? Nenhum. Crises? Foram muitas. Mas todas muito bem curadas pela ação do Espírito Santo.
Hoje, sou incapaz de colocar em xeque (com "x" porque é o xeque-mate) a existência de Deus e de Cristo, como já fiz antes. Hoje, eu vivo essa fé e entendo melhor a razão de estar aqui.
Creia você também, se jogue, você não vai se arrepender. Isso não é religião. Jesus deve ser a nossa religião, já que Ele é o caminho que traz a religação com Deus. Isso é vida e vida em abundância. São bênçãos, dores, choro, mudança, tudo guiado pelo Espírito. Está pronto para viver uma verdadeira contra-cultura? Siga a CRISTO!



video

31.3.09

Um guia para viver melhor...


“Eu sei, Senhor, que não está nas mãos do homem o seu futuro; não compete ao homem dirigir os seus passos. Corrige-me, Senhor, mas somente com justiça, não com ira, para que não me reduzas a nada.” Jr 10: 23 e 24

Às vezes a gente questiona a soberania de Deus sobre os rumos que tomamos na vida. É natural se questionar: mas Deus se importa mesmo com qual decisão vou tomar? E, depois de um tempo, a gente aprende que a resposta é: sim, Ele se importa. E como se importa!

Gosto do termo usado por essa versão da Bíblia (é a NVI – Nova Versão Internacional): compete. Segundo o Michaelis, o verbo competir significa:
com.pe.tir
(lat competere) vti 1 Concorrer com outrem na mesma pretensão; rivalizar: Americanos competem com russos na Astronáutica. vti 2 Ser da competência, da alçada ou da jurisdição; cumprir, caber, tocar: Isso não compete ao Governo estadual. vti 3 Pertencer por direito: É à esposa que compete o imóvel. vpr 4 Rivalizar-se: Nela se competem a beleza e o talento. (Conjuga-se este verbo como aderir; é pouco usado nas formas em que ao p se segue i.)


Portanto, não cabe a nós, homens, falhos, limitados, decidirmos os nossos passos. Podemos fazer isso? Claro que sim! A escolha é nossa. A Bíblia fala de um Deus que não impõe suas decisões goela abaixo, mas que, de forma educada, espera a nossa decisão de pedir ajuda. Aí é que entra Jeremias para dizer: Corrige-me (v. 24). E quando decidimos não pedir ajuda? Bem, então assumimos a responsabilidade de sermos guiados pela nossa própria consciência.

Há uma passagem bíblica que eu amo e que fala sobre a visão de Deus com relação à vida em comparação com a nossa visão. É o texto de Isaías 55: 8 e 9. “”Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos”, declara o Senhor. “Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos”.”


Vale a pena colocar um trecho do texto de um missionário, o Jonathan Hibrido, que fala sobre a diferença entre a nossa consciência e o Espírito Santo.

O que é a nossa consciência?
É o atributo pelo qual o homem pode conhecer e julgar sua própria realidade; Faculdade de estabelecer julgamentos morais dos atos realizados; Cuidado com que se executa um trabalho se cumpre um dever; senso de responsabilidade; Conhecimento; Percepção imediata dos acontecimentos e da própria atividade psíquica. (Fonte: Mini Dicionário Aurélio).

A nossa consciência sempre nos aponta para nossas próprias vontades, nossas responsabilidades, a propriedade na execução dos nossos deveres de acordo com nossa percepção do fato naquele momento. Se você vai a uma sapataria comprar um tênis, sua consciência pode te induzir a comprar um Nike porque ele é 12 molas, e vai te trazer um devido conforto ou por você gostar do modelo, ou seja, você quer aquele tênis.

Quando vai escolher uma namorada, (o) tem uma lista de pré-requisitos para a candidata (o) cor dos olhos, cabelos, altura, abdômen, porque na sua análise essa é a pessoa perfeita pra você e é assim que você a quer.


E o Espírito Santo?
O Espírito Santo é o “Auxiliador” das nossas almas, aquele que tem conexão direta com o Deus Onisciente, é Aquele que interpreta nossas orações a Deus e analisa não o que sai da nossa boca, mas oração sincera do coração, que sabia a próxima palavra que seria escrita nesse artigo antes de ser formatada em minha limitada mente, mas que também está sujeito ao profeta. (Fontes: Escrituras Sagradas e Revelação do Próprio).

O Espírito Santo nos aponta pro amanha, para o beneficio do próximo, para as prioridades Dele, nos capacita para executar aquilo que fomos chamados para fazer de acordo com a Sua percepção do fato naquele momento. Se você vai a uma sapataria comprar um tênis o Espírito Santo vai te sugerir não comprar o Nike que você tanto deseja, mas talvez comprar o Timberland mais “troncudo” da loja porque para onde Ele vai te enviar no dia seguinte o Timberland terá muito mais utilidade pra você do que o Nike,ou seja, você vai precisar dele.

Quando vai escolher uma namorada (o), Ele te sugere jogar sua lista no lixo, e buscar alguém que talvez não tenha a cor dos olhos que você gosta, cabelo, altura ou abdômen desejado (mas nada também impede que tenha), mas que supra suas necessidades como cabeça ou ajudadora, que tenha o mesmo ministério que você e não vai ficar enchendo seu saco quando você for obedecer a Deus, esta será a pessoa perfeita pra você! Por que? Porque você precisa!

Sua consciência é singular, só pensa no agora acompanhada pelos seus olhos, que não enxergam o que esta a um metro de distancia de você do outro lado de uma parede, o Espírito Santo é coletivo, conhece suas necessidades em longo prazo, pois seus olhos estão em todo lugar e isso também inclui no futuro. Então em quem confiar, naquele que diz apenas o que você quer ou Naquele que diz sempre o que você precisa?

Luau

25.3.09

A espera de Caillou


Caillou é um esperto menino de quatro anos de idade, personagem central de um desenho animado francês que leva seu nome. Não lembro de tê-lo assistido antes, mas o episódio dessa manhã foi bem marcante.
Era um dia de dúvidas e questionamentos como qualquer outro. Já acordei falando com Deus, perguntando, entregando e, acima de tudo, crendo que Ele responde. Liguei a TV e Caillou estava pintando uma caneca de cerâmica. Ao seu lado, a vovó pintava uma jarra. As cores usadas por Caillou pareciam bem fraquinhas, mortas, contrastavam com as cores fortes dos objetos dispostos atrás dele. Como qualquer criança vivaz, o pequeno menino reclamou: “Mas, vovó, não tem outras cores? Essas são muito feias”. Eu concordo com ele. Amo cores vivas, não sou chegada a tons pastéis. A resposta da vovó foi de que aquelas cores ficariam mais bonitas quando passassem pelo forno, mas que isso duraria uma noite.
Ora, Caillou tinha pressa! Ele tinha quebrado a caneca de sua mãe e queria logo presenteá-la com uma nova. Esperar por uma noite seria desestimulante, ainda mais para uma criança de quatro anos. Mas a vovó avisou: Vai valer a pena, Caillou.
Duas coisas me chamaram a atenção nesse episódio: primeiro é que a espera não era pelo tempo, mas pela ação do forno, e, segundo, que, naquela noite, as cores ficariam gradativamente mais fortes até chegarem ao tom desejado.
Quando falamos em esperar, parece que falamos de algo estático, deixado ao acaso. No entanto, o texto de Isaías 64:4 dá uma esperança diferente para aqueles que esperam...os que esperam no Senhor. “Desde os tempos antigos ninguém ouviu, nenhum ouvido percebeu, e olho nenhum viu outro Deus, além de ti, que trabalha para aqueles que nele esperam.”. Pára tudo! Não é o acaso que age na situação. É um Deus cujo poder é expresso desde Gênesis 1 até Apocalipse 22 e que, até hoje, é vivenciado por aqueles que nele crêem.
Além disso, devemos crer que as cores ficarão mais fortes e andar conforme essa certeza. Caillou ainda teve dúvidas, como todos nós costumamos ter. Mas a palavra de sua avó foi consoladora: “vai valer a pena”. É isso que o Espírito Santo consolador faz por nós. “Aguarda, Izabel, as cores estarão mais vivas amanhã. Sou Eu que estou agindo, enquanto você aguarda”.
Assim como Caillou, eu e você diremos amanhã: Valeu a pena! Afinal, não queremos cores fracas, preferimos o que é apurado e apurado pelo fogo.