26.5.09

A vontade

video

21.5.09

Razão do último post

Ah, sim, sim! Preciso explicar o motivo do último post. É que eu espero que os parcos leitores desse negro blog me parabenizem na próxima segunda! Vocês farão uma criança feliz, hein?

Drama de uma aficcionada por aniversário...o dela, claro!

Confesso. Sou doente por meu aniversário. E não é pouco! Gosto que todo mundo veja, perceba, saiba e, claro, que dê parabéns, né? Eu não sei ao certo de onde veio isso, mas posso desconfiar: da minha mãe.
Ela sempre foi looooooooooouca por aniversário: o dela e o dos outros. Dava parabéns a todos os aniversariantes do ano. Era certeiro! Uma ligação que você podia dar por certa no seu aniversário, caso ela fosse sua amiga, colega de trabalho, vizinha, companheira de salão ou até já tivesse perdido qualquer dos cargos citados.
E comigo? Bem, comigo era um pouco diferente. Eu era a filha, a caçula, a princesa que ela sempre sonhou (ainda que eu nunca tenha conseguido - nem desejado - me adequar ao que ela considerava como princesa). Meus aniversários sempre foram com SUPER festa! Lembro bem do primeiro ano que ela resolveu não fazer nada grande, porque nós estávamos com viagem marcada para o dia. Ela sentou com toda calma do mundo para me dizer que ia fazer só um almoço com todos os meus amigos. E, creiam, isso que me deixaria SALTITANTE DE ALEGRIA hoje, me deixou meio triste na época.
Mas minha mãe tinha uma frustração. A data de nascimento dela. 17 de dezembro. Era fim de ano, próximo ao natal. Todos estavam viajando, não dava pra mobilizar todo mundo. De tanto ver a tristeza dela, eu sempre disse: não quero que meus filhos nasçam em feriados ou período de férias.
Agora a frustração é minha. Eu nasci em maio. No lindo dia 25 de maio de 1983. Não, não é período de férias. Também não é feriado, embora seja o dia mundial do orgulho nerd. É que, há 11 anos, eu moro em Salvador e, por aqui, o outono tem uma característica bem marcante. A CHUVA! Sim, chove canivetes no período do meu aniversário. Salvador sempre alaga, engarrafa, vira um caos. E minhas comemorações costumam ir, literalmente, por água abaixo! Uma decepção para aficcionadas como eu, não é verdade?

19.5.09

Virá? Viva, use, pregue

Eu sempre tive um problema sério com as camisetas de mensagens bíblicas, as tais gospeis, evangélicas, sei lá. Acho que são chatas, sem graça e eu, particularmente, tenho dificuldade em usar. Admiradora assumida de camisetas da camiseteria e da camiseta record, não simpatizava com aqueles esquemas de "Exército de Deus", "Eu tenho a marca da promessa" e afins. Nada contra quem goste, mas não faz o meu estilo!
Certo dia, navegando de forma despretenciosa na internet, eu vi um link em alguma comunidade do orkut. A virá. Quando visitei, fiquei E-N-C-A-N-T-A-D-A! As frases são tiradas interessantíssimas, as estampas muito bem feitas e, posso dizer porque tenho umas, a qualidade da malha é maravilhosa! Fica a dica.

13.5.09

Reggaezinho bom!

Confesso que não sou muito chegada a reggae, mas tem umas músicas que são bem legais. Eu, particularmente, gosto muito dessa música de Nengo! Vale a pena dar um saque!


video

Warm Up 2 - o convite!

10.5.09

As letras do Heavy Metal: o White Metal

Sex, 08 Mai, 12h26

Por Andreas Kisser, colunista do Yahoo! Brasil

Já apresentei, em um breve resumo de quarto partes, as origens e influências que moldaram os temas e as letras no heavy metal. Recebi muitas respostas, ideias, sugestões, críticas e elogios. Fico muito agradecido por isso e tenho me esforçado para melhorar a coluna com a ajuda de vocês.

Um dos assuntos que mais repercutiu foi a coluna sobre as letras de black metal: As letras no heavy metal: anticristo superstar!. Recebi, principalmente mensagens de fãs do metal gospel, sugerindo uma pauta sobre o assunto, então, lá vou eu!

Admito que sou leigo no assunto e tive que fazer uma pequena pesquisa para entender a união da música pesada com a temática gospel. O metal cristão, ou qualquer outro estilo musical cristão, prega a palavra da escritura Sagrada, a Bíblia. As letras contam com passagens e frases totalmente inspiradas no livro.

Em todas as religiões, a música é usada em seus rituais, e na fé cristã não é diferente. Geralmente o acompanhamento das vozes nos corais é feito com um órgão de tubos, instrumento utilizado com maestria pelo compositor luterano alemão, Johann Sebastian Bach (1685-1750), um dos maiores músicos da história, que escreveu muitos temas inspirados na Bíblia como, por exemplo, a "Paixão de Cristo Segundo Mateus". A música de Bach é muito apreciada pelos músicos de heavy metal e influenciou muitos guitarristas e tecladistas do gênero.

Nas igrejas do Bronx, bairro em Nova York, também é utilizado um órgão elétrico acompanhado por bateria, baixo, guitarra e sopros, com corais muito animados, que fazem dos cultos uma verdadeira experiência. Esta música de temática gospel também influenciou muito o blues e o rock.

Com o passar do tempo, a igreja cristã foi se transformando e adotou outras formas musicais de expressar sua fé. Hoje, vários estilos musicais fazem parte da rotina das comunidades cristãs, fora e dentro do Brasil.

A primeira banda de heavy metal cristão, que levou o estilo ao mais alto nível, foi o Stryper. A banda californiana se inspirou na Bíblia para dar nome ao grupo, compor o visual e as suas letras. O estilo musical adotado pelo banda foi o que rolava na época, final da década de 80, o auge da era "poser metal" ou "glam metal".

Bandas como Mötley Crew, Poison e Cinderella estavam começando o seus reinados nas arenas norte-americanas. Guitarras distorcidas, solos de guitarra e muita maquiagem. A inspiração do Stryper (que vem do termo stripe, que significa faixa, listras, tiras) veio de um verso da Bíbla, Isaías 53:5, que declara: "Através de suas faixas seremos curados". A marca da banda são faixas preta e amarelas que causam um efeito visual único. O disco de maior sucesso foi "To hell with the devil" ("Ao inferno com o diabo"), de 1986. Uma parte da letra dizia:

Speak of the devil / He's no friend of mine / To turn from him is what we have in mind / Just a liar and a thief / The word tells us so / We like to let him know / Where he can go / To hell with the devil / (Mensagem do diabo / Ele não é meu amigo / Desviar de seu caminho é o que temos em mente / Ele é simplismente um mentiroso e um ladrão / A "palavra" nos fala / Nós gostaríamos de avisá-lo / Aonde ele poderia ir / Ao inferno com o diabo).

Outro grupo norte-americano que toca um metal mais alternativo, mesclando vocais agressivos com vocais melódicos é o P.O.D. (a sigla significa "payable on death", que português lieral quer dizer "pagável na morte"). É um termo técnico muito usado em bancos nos EUA quando uma pessoa morre e alguém herda seus bens. É necessário que uma pessoa morra para outra herdar seus bens. Isso é uma referência da banda a Jesus Cristo, que segundo o cristianismo, morreu por nós, pagando e perdoando nossos pecados, dando-nos a chance de sermos salvos. A banda já vendeu milhões de cópias, desde sua formação na metade da década de 90, com letras como: "Psalm 150" e "Abortion is Murder":

Abortion is murder / There's nothing you can say or do / To justify the fact / That there's a living breathing baby inside of you (Aborto é assassinato / Não há nada que você possa falar ou fazer / Para justificar o fato / De que existe um ser vivo respirando dentro de você).

Outro conceito interessante sobre as bandas cristãs vem do músico Tim Lambsis, do grupo norte-americano As I lay dying (Enquanto estou deitado e morrendo), ele diz: "Não tenho certeza qual é a diferença entre cinco cristãos tocando numa banda e uma banda cristã. Se você realmente acredita em algo, então isto afetará todas as áreas da sua vida. Todos nós da banda somos cristãos. Eu acredito que a mudança começa comigo primeiro, e a consequência é que as nossas letras não soam como sermões. Muitas de nossas músicas são sobre a vida, erros, relacionamentos e outros assuntos que não se encaixam necessariamente em uma categoria espiritual. Entretanto, todos estes tópicos são escritos de um ponto de vista cristão". Um ponto de vista interessante, onde se pode expressar com um pouco mais de liberdade, sem perder a fé nas crenças.

No Brasil, o maior exemplo de banda critã é o Oficina G3. Um grupo de músicos super talentosos, que tocam uma música pesada e bem elaborada. Os vocais também se intercalam entre mais agressivos e melódicos e os solos de guitarra de JuninhoAfram são de primeiro nível. Veja a letra da música "A Ele":

Se eu pudesse explicar ao mundo / O que é andar contigo, Oh Deus! / Minhas palavras não poderiam expressar / O Teu poder / O Teu imutável amor / Falar de Quem foi, que é e sempre será Deus!

No heavy metal mais extremo, a banda mais expressiva vem da Austrália: o Mortification. O som é brutal e super agressivo, mas inimigos do mal. Veja a letra de "Blood Sacrifice":

Christ he was inflicted / He took the sin of man / Bleeding on a woodencross / God's eternal plan (Cristo foi infligido / Ele tirou os pecados do homem / Sangrando em uma cruz de madeira / Plano eterno de Deus)

Bom, creio que deu pra entender um pouco e conhecer algumas bandas do white metal. Para mim, foi um aprendizado e acho que todos os músicos, independentemente do estilo e da mensagem, tocam porque amam a música e se beneficiam da liberdade que ela representa.

Conheci vários países, de culturas, ideias e religiões distintas, sempre aprendendo alguma coisa nova e, com isso, respeitando e tolerando diferentes maneiras de se ver a vida e o mundo.

Aproveitando, vejam as fotos (clique aqui) da minha última turnê com o projeto HAIL em países com a Turquia, Grécia, Croácia e Áustria, onde toco covers de clássicos do metal com ex-membros do Megadeth, Judas Priest e Alice Cooper.

Aprender a respeitar é aprender a viver em Paz.

Abraço a todos.
Andreas Kisser

3.5.09

Palavrantiga

video

PENSEI - Palavrantiga

Pensei que só por meu pensar Tu virias a ser, mas não.
Eu pensei que só por meu cantar Tu virias a ser, mas não.
É que a música soou, mesmo sem minha voz.
É que o Senhor me tocou quando esqueci de imaginar!
Pensei que poderia explicar a grandeza que és, mas não.
Eu pensei que poderia encontrar o caminho que és, mas não.
A explicação se esgotou, mesmo querendo encontrar.
É que o Senhor me buscou quando a estrada era só escuridão.
Vou e faço o meu melhor, isto é barro em Tuas mãos.
Tu vens, me chamas para entrar em Teu reino de amor.
Tu és meu Deus. Teu nome é grande.
Tu és eterno, mas não distante.
Canto sereno Tua grande glória.
És Santo Deus, aleluia!

Pensei que poderia explicar a grandeza que és, mas não..