7.10.08

Eleições x Cristianismo



Não era bem sobre isso que eu queria falar hoje, mas creio que não posso me abster quanto ao que vi acontecer nas eleições municipais de Salvador: voto religioso. É engraçado como nós, cristãos, somos vistos como um bolo só, que pensa (ou não pensa) da mesma forma e que tem as mesmas atitudes.
Sim, o cristianismo tem princípios fortes: amor, paz, supremacia de Deus e outras coisas. Não, nós não somos iguais e não pensamos (ou, novamente, não pensamos) da mesma forma. O voto religioso, convencido através de supostos princípios bíblicos, é o maior criador de novos coroneis. O engraçado é que isso não tem NADA a ver com o que Cristo viveu (e Ele é nosso modelo). Pastores, bispos e outros tantos se afiliam a partidos poderosos (ou nem tantos) e conseguem angariar votos através da igreja. Líderes convencem todo seu rebanho a votar naquele que é do seu agrado. E não é do agrado por conta de uma análise minunciosa do plano de governo. É do agrado por uma simples questão de poder.
É uma pena que isso se alastre em um país que já tem um histórico de dificuldade em escolher seus governantes. E esses, cheios de falso pudor, falam sobre a importância dos fiéis votarem no candidato de sua predileção. E a vaidade da conquista do poder torna-se mais importante que a responsabilidade de guiar pessoas para um posicionamento sério na escolha de governantes.
Este novo cristianismo (que é mais velho do que a sujeira instaurada em algumas igrejas, já que se apega com fidelidade ao que CRISTO mandou) não aceita a condição desse sistema "emburrecedor". Nada mais ilustrativo do que a imagem do Manifesto Missões Urbanas ao lado.

"1 Então falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos, 2 Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. 3 Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem; 4 Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los; 5 E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largos filactérios, e alargam as franjas das suas vestes, 6 E amam os primeiros lugares nas ceias e as primeiras cadeiras nas sinagogas, 7 E as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens; Rabi, Rabi."

João 23: 1 a 7

Um comentário:

Babi disse...

Puxa Bel, isso é uma realidade. Eu confesso que me sinto até irresponsável, sabe? Não gosto de política, detesto eleições e geralmente não sei em quem votar. É absurdo demais, eu seiiiiiii! Mas isso que vc escreveu aí é sério demais, e nós precisamos ser seres pensantes, afinal, só assim é que muitas coisas podem ser mudadas (no nosso meio e fora dele). Votar em fulano ou ciclano só porque ele é crente é complicado porque não temos que votar nele por ser crente, mas por que tem boas propostas como um futuro líder. E cá pra nós, tem muita gente que se diz crente pra ganhar voto e no fundo, no fundo, não é crente coisíssima nenhuma. Então vamos ficar alertas! Bjs